terça-feira, novembro 30, 2004

Citação

O governo é como um bébe: um canal alimentar com um enorme apetite numa ponta, e nenhum senso de responsabilidade na outra.

Ronald Reagan

Isto tudo por causa de um DVD?

O triste disto tudo é que um governo cai à custa de uma pessoa insignificante, como o ministro Henrique Chaves. Mais triste ainda é que vamos ter que levar com o Paulo Portas, vestido de pai natal por essas feiras do país, a fazer-se de vitíma.

Boa notícia

José Sócrates anunciou que a proposta de governo do partido socialista vai ser redigida por António Vitorino. Um excelente indício. A ver vamos se vai ter tempo suficiente para fazer um bom trabalho. Espero que sim.

Será que não foi pior a emenda do que o soneto?

Apesar de compreender a decisão do Presidente da república, em dissolver o parlamento, tenho dúvidas se foi a mais correcta. Acima de tudo por achar que não vem em boa altura. Aliás, nenhuma crise destas vem em boa altura. Quer queiram quer não, esta decisão apanhou-nos todos de surpresa. Assim, tenho muitas dúvidas que, neste pouco tempo que falta até às eleições, se consiga mobilizar um conjunto de pessoas de indiscutível valor, capazes de apresentar um bom programa de governo. Espero, no entanto, tal como disse Cavaco, que de uma vez por todas os políticos incompetentes sejam substituídos por políticos competentes. Além disso, não sei se este governo desceu tão baixo, ao ponto de o partido socialista conseguir uma maioria absoluta. Este ponto é fundamental. Porque, acreditem, sem uma maioria absoluta não teremos um bom governo.

Uma espécie de vampiro

Eu não sou quem tu desejas
Eu não sou aquele que beijas
Sou um mero pesadelo ou fantasia

Eu sou muito mais que velho
E intimido qualquer espelho
Sou o amigo mais funesto da poesia

Sou uma espécie de vampiro
E quando sobre ti me atiro
É para saborear um pouco do teu sangue
Só para beber gota a gota o teu sangue

Jorge Palma

Ela flutua, ela hesita: em suma, ela é mulher


Lei de Blu'peace

A melhor qualidade do ser humano é ser biodegradável.

segunda-feira, novembro 29, 2004

A crise

A nossa quinta governativa está ao rubro. Apenas 4 dias depois do primeiro reajuste governativo, um dos ministros demite-se. Curiosamente o mesmo que proferiu aquelas fantásticas declarações sobre o DVD que o Benfica lhe entregou. A verdade é que os ratos são os primeiros a fugir quando percebem que o barco se está a afundar. Ora eu detesto ratos. Agora o barco...

Apesar de parecer de somenos esta demissão, ela reveste-se de alguma gravidade. Especialmente, porque o ministro demissionário era um fiel Santanista. Assim, fica sempre na dúvida a questão: Se este ministro, que era muito próximo de Santana, se demitiu por falta de lealdade e verdade política do primeiro ministro, como se sentirão os outros?

Para o país esta crise também não vem em boa altura. Porque, em boa verdade, com a recente mudança de líder no partido socialista, ainda não houve tempo para alinhavar uma proposta alternativa governativa verdadeiramente coerente e credível. Além disso, José Sócrates já percebeu que quanto mais tempo este governo ficar, mais asneiras vai fazer, ou seja mais possibilidades tem de obter a maioria no parlamento. E ele sabe, tal como nós sabemos, que uma maioria governativa é fundamental. Então agora com este PCP...

Acredito que Sampaio já esteja mais que arrependido de ter dado posse a este governo. Contudo, deve estar num grande dilema. Percebo que não é fácil decidir. Especialmente, porque há uma forte convicção, de que, se não se fizer nada, esta não será a última crise.

Estou curioso para saber como vai acabar esta crise governamental. Por mim, espero que não fique por uma comunicação ao país, e que, finalmente, comecem a governar. Já está na altura, não acham?

Citação

A verdade é a melhor camuflagem. Ninguém acredita nela.

Max Frisch

Rescaldo do fim de semana

Prometi contar as peripécias de fim de semana. A verdade é que não há muito para contar que possa ser interessante. Tudo decorreu como costuma correr. A expectativa estava naquela procissão de barcos, que diziam ser muito bonita. A mim não me pareceu nada interessante. Talvez perigoso. Mas para mim o perigo é sentido de outra forma. Ainda bem. De facto, os barcos iam atafulhados de pessoas, especialmente crianças. Além disso, os homens que conduziam os barcos, estavam completamente embriagados. Mas penso que tudo correu bem e o santo lá chegou ao seu destino, cumprindo a tradição. Para o proximo fim de semana são as festas do municipio, aqui na Vila. Mais um fim de semana de muita agitação.


Valsa dum homem carente

Se alguma vez te parecer
ouvir coisas sem sentido
não ligues, sou eu a dizer
que quero ficar contigo
e apenas obedeço
com as artes que conheço
ao princípio activo
que rege desde o começo
e mantém o mundo vivo

Se alguma vez me vires fazer
figuras teatrais
dignas dum palhaço pobre
sou eu a dançar a mais nobre
das danças nupciais
vê minhas plumas cardeai
sem todo o seu esplendor
sou eu, sou eu, nem mais
a suplicar o teu amor

Jorge Palma

domingo, novembro 28, 2004

Muita luz é como muita sombra: não deixa ver


sábado, novembro 27, 2004

Fim de semana em festa

Hoje e amanhã estarei no vila piscatória do Tarrafal a propósito das festas locais de São Francisco. Os dias no Tarrafal são sempre muito animados. Por isso, estou muito entusiasmado com este fim de semana. Acho que terei oportunidade de dançar mais um pouco e de me divertir. Quem sabe.

As festas na ilha de São Nicolau são sempre iguais, independentemente do local onde ocorram. Começam à sexta-feira à noite com um baile. No sábado, fazem-se algumas actividades desportivas de manhã e a tarde é reservada para as pessoas andarem nas ruas de barraquinha em barraquinha, onde a música, a dança, a comida e, muito menos, a bebida não faltam. Pela noite, faz-se mais um baile, sempre muito concorrido. O domingo é mais especial, pois de manhã, pelo menos no Tarrafal, decorre uma procissão de barcos.

Depois, pela hora da refeição, as pessoas da localidade abrem as portas das suas casas e oferecem comida tradicional, xerém e mõdje de capôde, a todos os amigos e visitantes. De facto, é uma tradição muito interessante, que revela um grande espírito de solidariedade. As donas de casa passam o dia a servir os convidados, transformando as suas casa em autênticos restaurantes. O ano passado, numa festa similar, fui convidado a entrar em cinco casas. Claro que em todas tive de comer o que me puseram à frente. Nunca comi tanto na minha vida. Este fim de semana deve ser igual. Domingo contarei como foi. Com fotos. Espero.

Frase do dia

Não é a poluição que está prejudicando o meio-ambiente. São as impurezas no ar e na água que fazem isso.

George W. Bush, Jr.

Educai-os ou suportai-os!

Quando eu fui aluno do ensino básico e secundário era um pouco indisciplinado. O palhaço da turma. Quase todos os dias vinha para a rua. Porém, nunca fui mal educado e até sentia uma certa simpatia dos professores por mim. Além disso, conseguia tirar boas notas nos testes o que aliviava a pressão em casa. Contudo os professores teimavam em baixar-me a nota por causa do comportamento. Recordo-me de nessas alturas discutir com os professores e defender que os comportamentos não deviam ser avaliados. A minha tese era esta: Se aprendo, mesmo não estando com atenção, o professor não tem nada a ver com isso. Imagine que é essa a minha maneira de aprender!

Agora que estou no papel de professor vejo-me confrontado com a situação de avaliar comportamentos. Se a início tinha dificuldade em compreender tal avaliação, agora compreendo e aceito-a perfeitamente. Ora se queremos que os nossos alunos aprendam mais que a simples matéria, então temos que avaliar mais do que os conhecimentos científicos. Se exigimos que os alunos tenham um comportamento adequado então também teremos que o avaliar.

Existe muitas vezes a ideia de que a disciplina não deve ser imposta aos alunos, devendo ser instaurada de uma forma que eles entendam o sentido e a razão para o qual é necessária. Contudo, se este princípio é válido para alunos mais velhos, para alunos mais novos, as coisas tornam-se mais complicadas... De facto não cabe às crianças definir as regras da disciplina. É demasiado para elas. Ao professor é que cabe enunciá-las e impô-las. Pretendo deixar marcas positivas nos meus alunos, que têm que ir muito mais além do que os simples conhecimentos matemáticos...

A diferença entre os gajos e as gajas

Durante os 6 anos que passei em Lisboa a estudar fui a muitas festas universitárias. Como vivia numa residência universitária, quando saíamos, íamos em grandes grupos. Foi nessas festas que me apercebi da real diferença entre homens e mulheres.

Os homens quando estão juntos e reparam num grupo de raparigas, normalmente, combinam entre si quem fica com quem. Normalmente, não há grandes problemas em chegar a acordo. Utiliza-se a técnica do mais feio, para a mais feia e assim sucessivamente. Sempre no maior espírito de solidariedade.

Já as mulheres quando estão em grupo e reparam num grupo de rapazes, quase sempre, escolhem o mesmo rapaz como o seu alvo. O espiríto de competição apodera-se delas. E a partir daí é um desfile de exibicionismo e atrevimento. Quase sempre a mais atrevida fica com o rapaz em causa. As outras com quem aparecer.

A luz dos olhos teus

Quando a luz dos olhos meus
E a luz dos olhos teus
Resolvem se encontrar
Ai que bom que isso é meu Deus
Que frio que me dá o encontro desse olhar
Mas se a luz dos olhos teus
Resiste aos olhos meus só pra me provocar
Meu amor, juro por Deus me sinto incendiar

Meu amor, juro por Deus
Que a luz dos olhos meus já não pode esperar
Quero a luz dos olhos meus
Na luz dos olhos teus sem mais lará-lará
Pela luz dos olhos teus
Eu acho meu amor que só se pode achar
Que a luz dos olhos meus precisa se casar.

Vinicius de Moraes

Onde estás que eu não vejo?


sexta-feira, novembro 26, 2004

O homem que mordeu o cão

Acabo de ver, integralmente, o homem que mordeu o cão na tvi. Adorei. Não sei o que aconteceu para a parabólica estar num canal como o da tvi. De certeza que o gajo da parabólica, da qual apanho o sinal na minha tv, adormeceu a ver a novela ou qualquer coisa do género. Ou então apanhou um ataque cardíaco com a Quinta das Celebridades. De qualquer forma, o meu obrigado!

Também não se pode ter tudo: as férias e ordenado!

Hoje, ser professor é mais do que um desafio é um acto de coragem. As condições de vida dos professores degradaram-se, ninguém duvide. Aliás, toda a gente reconhece que o ensino está em crise. Parece-me óbvio: se quisermos um melhor ensino, temos que ter melhores professores. Ter melhores professores implica dar à profissão condições mais atractivas.

O único critério para a colocação de professores é a média. Um número. O computador trata do resto. Desta forma, a colocação de professores faz-se sem o mínimo de subjectividade. Mas isto acontece em mais alguma profissão? Mas há alguma empresa que recruta alguém sem fazer uma entrevista, sem conhecer os candidatos, sem saber das suas motivações? Todas essas coisas que levam a sentir afinidades ou repulsas, prazer ou mal estar, tudo o que mostra que somos um ser humano, tudo o que traduz essa estranha vocação de professor, tudo isso é pura e simplesmente ignorado.

Defendo que se premei a qualidade. Por isso não me choca que os professores sejam avaliados, aliás, é o que acontece em qualquer empresa. Como sabemos a profissão de professor proporciona inúmeras situações de não ser exercida. Aliás, muitos professores gostam desta profissão por isso mesmo. O receio de ser despedido ou de não ser promovido de forma automática é que parece justificar esse apego desesperado à segurança por parte de tantos professores. Constato que é muito fácil cair na rotina, no comodismo, no facilitismo. Mas será isso benéfico para o ensino? Pessoalmente, para ser feliz, eu preciso que reconheçam o valor ou a ausência de valor do meu trabalho. Embora não seja isso que me faz funcionar. Embora eu não procure agradar, preciso que os outros me digam sinceramente o que pensam do que eu faço.

Frase do dia

A grande maioria de nossas importações vem de fora do país.

George W. Bush, Jr.

O Benfica, o DVD e o Ministro

O Tiago, no Coisas Insignificantes, escreveu um post apoiando as declarações do Ministro Henrique Chaves, que disse, a propósito da recepção de uma delegação do Benfica, "só por delicadeza não atirei pela janela o DVD do Benfica-FC Porto". Pois é, mais uma vez o Tiago, na seu clubite aguda, não percebeu o ridículo da coisa. Ou será que se pode aceitar a frase, de um ministro do governo de Portugal, como se fosse dita por um qualquer dirigente desporivo? Das duas uma. Ou o ministro não aceitava receber o Benfica ou então não tinha que cair no ridículo das suas afirmações. No minímo indelicado.

Seria de esperar que o presidente do Benfica respondesse na mesma moeda ao ministro. Mas não. Numa postura de estado, responde com muita delicadeza. "Fomos falar com o ministro sobre a situação do desporto em portugal, entregámos um documento sobre temas como a criação de um tribunal desportivo, o doping, a corrupção e tivemos uma conversa agradável de duas horas. Por fim deixámos um DVD do jogo, porque sendo o ministro benfiquista e como não esteve no estádio queriamos que visse que os sócios do Benfica portaram-se com civismo. Deram-nos os parabéns pela nossa postura e por isso custou-me ver o ministro dizer que só por cortesia o DVD não foi pela janela. Quero dizer ao ministro que o Benfica não merecia. Por respeito ao primeiro-ministro fico-me por aqui”. Nem mais. Tenha a delicadeza.

O sonho comanda a vida

Eles não sabem, nem sonham,
que o sonho comanda a vida
Que sempre que um homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre as mãos de uma criança.

António Gedeão

Mafalda


quinta-feira, novembro 25, 2004

Um almoço demorado ...

Pois é ... o almoço foi óptimo. Por causa disso acabei por pankar (“verbo” em crioulo que significa faltar deliberadamente às aulas). Os meus alunos devem estar radiantes. Confesso que, apesar de me sentir um pouquinho com remorsos, esta panka também me soube bem. Mas foi uma vez sem exemplo. Espero.

Frase do dia

Eu gostaria de ter estudado latim. Assim eu poderia comunicar melhor com o povo da América Latina.

Dan Quayle

Dia de Acção de Graças

Juntamente com a minha colega Helga e com 4 americanos, vou almoçar fora. O motivo é o facto de hoje ser dia de Acção de Graças na América. Um dos poucos feriados americanos. Assim associamo-nos a estes peace corps que tanto têm ajudado esta ilha. Apesar de não haver perú (nem lagosta!), e de eles ainda estarem um pouco chateados com a vitória do Bush, tenho a certeza que vai ser muito divertido. Já agora, um bom dia de Acção de Graças para si também.

P.S. : Os Peace Corps são uma Organização Governamental Americana de apoio ao desenvolvimento, idealizada por Kennedy quando ainda era senador. Os peace corps são voluntários com espírito de missão. Talvez por isso desempenhem um trabalho tão importante.

Casa Pia

Começou o julgamento do caso da década. Possivelmente, durante as próximas semanas, só se vai falar deste processo. Não sei se todos os réus são culpados. Mas tenho a certeza de que nem todos os culpados vão a julgamento. Aguardo que se faça justiça. Para todos.

Quem acha que este processo é apenas a ponta do iceberg de algo bem mais complexo, aconselho a visitar o MuiMentiroso. Encontrará aqui uma teoria de conspiração assustadora. Digno de um filme. Ou não.

Uma casa de nada

Na minha casa há demasiadas coisas sem uso. Os cantos estão ocupados por objectos que não se sabe para que servem. Estão colados à madeira do chão e às paredes, fundidos. Submersos pelo pó, são esquecidos e inquestionáveis. O silêncio absoluto apaga a memória da respiração que já esteve sobre os tapetes, entre as portas. A memória são todos os segundos passados desde a criação do mundo comprimidos. E lembrar a tristeza faz perceber que as lágrimas choradas nunca são suficientes.

Tenho o corpo numa cadeira de baloiço. Para a frente. Para trás. Os olhos cerrados na ilusão da queda. Os braços esquecidos no colo. Deixei as lágrimas secarem por si, caírem até ao pescoço e desaparecerem. A noite está muito, muito escura. É daquelas noites sem estrelas que nos dizem que no dia seguinte vai chover. Quero gritar até o oxigénio se esgotar, até não conseguir chegar ao cérebro, vazio. E do nada surge uma recordação, diluída nos gritos dos grilos, de crianças com as bocas sujas de gelados de chocolate.

Mas sei que está uma noite escura sem estrelas. A noite escura entre as árvores do pinhal. E a minha casa é demasiado longe de tudo. Muito, mesmo muito afastada de qualquer riso de criança.

Liliana Moita

Tenho saudades da minha mãe!


quarta-feira, novembro 24, 2004

Frase do dia

O futuro será melhor amanhã.

George W. Bush, Jr.

Publicidade gratuita

Hoje foi criado um blogue dedicado ao Jorge Palma. Este espaço servirá para serem divulgadas datas de concertos, entrevistas, notícias, mas também para serem deixados comentários e opiniões sobre a obra, relatos e fotografias de concertos, trocas e pedidos de material.
O endereço é: http://www.jorgepalma.blogspot.com/
Vale a pena visitar. Para palmaníacos. Ou não.

Português versus Crioulo

A língua oficial de Cabo Verde é o português. Contudo, é uma língua que só é usada em actos oficiais ou formais. Quase ninguém fala português informalmente. Pode-se dizer que a língua materna seja o Crioulo. As crianças só aprendem a falar português quando entram para a escola primária. Por isso, o português funciona como uma segunda língua língua. De facto, nem chegam a ser bilíngues.

Apesar de já estar em Cabo verde há um ano ainda não sei falar crioulo. Entendo algumas coisas. Mas falar, ainda não. Talvez porque não tenho necessidade de aprender, visto toda a gente me entender perfeitamente. Além disso, as pessoas são simpáticas e, normalmente, esforçam-se em falar português comigo.

O crioulo é uma linguagem simples, cheia de palavras em português ligeiramente modificadas. Não existe uma gramática. Não existem muitas regras. Porém tem um senão. O crioulo não é uniforme em todas as ilhas de Cabo verde. Há diferenças substanciais. Outra dificuldade é a escrita, pois cada um escreve como fala.

Frases em crioulo

Tud’ dreto? (está tudo bom?)
Moda qui bô nome? (qual é o teu nome?)
Quant’ ano bô tem? (quantos anos tens?)
Mim ká falá nada crioulo! (eu não falo nada crioulo!)
Bo tá pa bodje? (tu vais para a baile?)
É sim prope kim tá qrê! (é isso mesmo que nós queremos!)
Mim gosta de amudjer! (eu gosto de mulheres!)
Tud’ gente tem tchéu fidje! (toda a gente tem muitos filhos!)
Nha tchutchu! (minha namorada!)
Nha cretchéu! (meu amor!)
Bô é nha fêma! (tu és a minha mulher!)
Plôita de fêma! (gaja boa!)
Nô bai pá escola! (nós vamos para a escola!)
Un tá d’ féria! (eu vou de férias!)
Bsote tá n’ aula! (vocês estão na aula)
Un tá espiá bô! (eu estou a ver-te!)
Un ká bai pá festa (Eu não vou para a festa!)
A comid’ tá sabe (a comida tá boa!)
Manêra k’ bô faláme! (o que é que tu me disseste?)
Mi Ka podê bai! (eu não poso ir!)
Pará d’ abuse! (parem com a brincadeira!)
Un tá doido na bô! (eu estou doido por ti!)
Trazême só um cartinha pá ká pesá na bô mala! (traz-me só uma cartinha para não pesar na tua mala!)

Ponto da situação - 13h27

A situação é problemática. Acordei com sono. Cheio de preguiça. Sem inspiração. Além disso, o almoço estava um desastre. Anotem: Atum fresco temperado com vinho não combina. Muito amargo. A propósito, fiquei com uma enorme vontade de beber um café expresso. E um copo de água. E ao mesmo tempo, ler o jornal. Com fumo de tabaco e tudo.

Já agora, digam-me uma palavra que signifique "sem sabor"? (Questão que uma aluna me fez ontem, que eu não soube responder!)

Citação

Os acasos só favorecem os espíritos preparados.

Pasteur , Louis

Com amigos destes quem precisa de inimigos?

Na última edição da revista Sábado, vem uma grande entrevista a Paulo Portas. Às páginas das tantas o entrevistador pergunta:
Visitou o José Braga Gonçalves na cadeia?
Responde Paulo Portas:
Não.
Replica o entrevistador:
Sendo amigo dele, seria de esperar que o visitasse?
Responde Paulo Portas:
Não. O José Braga está a passar um momento difícil e eu respeito quem está a passar momentos difíceis.

Não se riam por favor e agradeçam por ele não ser vosso amigo.

Frágil

Põe-me o braço no ombro
Eu preciso de alguém
Dou-me com toda a gente
Não me dou a ninguém
Frágil
Sinto-me frágil

Faz-me um sinal qualquer
Se me vires falar demais
Eu às vezes embarco
Em conversas banais

Frágil
Sinto-me frágil
Frágil
Esta noite estou tão frágil
Frágil
Já nem consigo ser ágil

Está a saber-me mal
Este Whisky de malte
Adorava estar "in"
Mas estou-me a sentir "out"

Frágil
Sinto-me frágil
Acompanha-me a casa
Já não aguento mais
Deposita na cama
Os meus restos mortais
Frágil
Sinto-me frágil

Jorge Palma

Imagine o que quiser e faça desta tela algo especial.

:

terça-feira, novembro 23, 2004

Lei da ordenação indutiva de Hjesa

Você pode ter nascido primeiro... mas eu nasci depois!

Avaliação

Ontem recebi uma encarregada de educação de uma aluna, da minha direcção de turma, muito interessada no acompanhamento escolar da filha. A aluna em questão é uma óptima aluna a matemática. Tirou 18 no teste. Tem uma boa participação na aula. Faz os T.P.C.s. Tem um comportamento exemplar. Por isto tudo foi com enorme surpresa que recebi a notícia que ela tinha tirado um 5 no teste da disciplina de Estudo Científico. Chamei a aluna e tentei perceber o porquê dessa nota. A sua timidez não permitiu tirar grandes conclusões. No entanto, a mãe dela, fez-me algumas queixas do professor. Além disso, confirmou-me que a filha tem graves problemas de audição o que não permitem captar tudo o que se passa na aula. Pelo menos naquela. Mais tarde, reparei que havia outros alunos na mesma situação. Por exemplo, o meu melhor aluno a matemática também teve um 5 no teste de Estudo científico.
Como se permite que bons alunos tenham estas notas? Como não se detecta nas aulas que o aluno está com dificuldades? Porque se resume tudo a um teste?

Esta disparidade de notas fez-me reflectir sobre a avaliação. De facto, umas vezes, cometemos erros de avaliação porque não conhecemos bem os nossos alunos, outras vezes porque não usamos os critérios mais adequados. Para os alunos, tudo passa pela avaliação. Mas avaliação não deve apenas traduzir um número, uma nota. É necessário que se faça uma avaliação aula a aula, capaz de recolher informações sobre os alunos, mas também capaz de fornecer informações aos alunos de modo a poderem auto-regularem as suas aprendizagens. Por isso a tarefa de avaliar é tão importante e difícil. O acto de avaliar não se resume apenas à recolha de informações sobre os alunos é necessário também saber interpretá-los.

Citação

O Amor não é louco. Sabe muito bem o que faz, e nunca, nunca, age sem motivo. Loucos somos nós, que insistimos em querer entendê-lo no plano da razão.

Marina Colasanti

Apenas por amor

A minha sobrinha acaba-me de me perguntar se pretendo casar, ter filhos, constituir família. A pergunta é recorrente. Até percebo porquê. De facto, não é só a minha sobrinha. A minha mãe diz que acha que já não caso. Que ninguém me quer. Que passei da idade. Será mesmo assim? Espero que não. Espero casar e ter filhos. No entanto, o casamento não me diz nada se não for com a mulher que eu ame. Por isso, por muito que pressionem, não me conseguirão empurrar para nenhuma situação que não queira. Nem que não tenho de casar ou constituir família. Isso não me assusta. O que me assusta é não ser feliz. Casado ou não. Não tenho medo em ficar sozinho. Mas claro que penso nisso. Claro que penso. Não vivo obcecado. Talvez preocupado. Não me tornei menos exigente, muito menos prescindi de algum dos meus princípios. Nunca. No entanto, confesso que mudei de atitude em algumas coisas. Estou mais maduro. Já não fico no pedestal à espera que alguém me ganhe. Quero lutar por alguém. Quero ganhar alguém. Estou disposto a amar. A me entregar. A me expor sem medo de perder. A conquistar. A cativar.
Tudo por amor. Claro.

Eternamente Tu

O tempo não sabe nada, o tempo não tem razão
O tempo nunca existiu, o tempo é nossa invenção
Se abandonarmos as horas não nos sentimos sós
Meu amor, o tempo somos nós

O espaço tem o volume da imaginação
Além do nosso horizonte existe outra dimensão
O espaço foi construído sem princípio nem fim
Meu amor, huuum, tu cabes dentro de mim

O meu tesouro és tu
Eternamente tu
Não há passos divergentes para quem se quer
Encontrar

Jorge Palma

Amor perfeito


segunda-feira, novembro 22, 2004

Queixa-te ao Putin

No comboio:Viajavam no mesmo compartimento de um comboio, um benfiquista, o Pinto da Costa, uma Loira espectacular e uma gorda enorme. Depois de uns minutos de viagem, o comboio passa por um túnel e ouve-se uma chapada. Ao saírem do túnel, o Pinto da Costa tinha um vermelhão na cara.
A loira espectacular pensou:... este parvalhão do Pinto da Costa queria-me apalpar, enganou-se, apalpou a gorda e ela deu-lhe uma valente chapada.
A gorda enorme pensou:... o filho da mãe do Pinto da Costa apalpou a loira e ela mandou-lhe uma chapada.
O Pinto da Costa pensou:... este sacana do benfiquista apalpou a loira, ela enganou-se e mandou-me uma chapada. E o benfiquista pensou:... oxalá venha outro túnel para poder mandar mais uma chapada ao Pinto da Costa...

Como é que é possível?

Este fim de semana tive oportunidade de ler a entrevista do Jorge Palma ao Blitz (obrigado Nuno!). A boa notícia nem acaba por ser o novo disco mas sim o facto de ter deixado de beber. Fica aqui um pequeno trecho do seu testemunho. Vale a pena ler.

"No fundo, aquela euforia que eu procurava no álcool - a festa, o convívio, às vezes as ideias malucas que depois até davam coisas giras - deixou de compensar. Foi diminuindo o prazer e a ressaca foi-se tornando mais grave. Senti que estava a perder muito tempo. Há outras maneiras de estar. E tive mesmo que optar pela vida saudável. Agora já posso fazer uma vida normal (...) Já não perco o tino (...) Isso tudo está superado, o que é extremamente recompensador, reconfortante e dá-me segurança para conviver com a tristeza, a desilusão os sentimentos de qualquer pessoa normal, com a realidade e a alienação, porque o álcool ajudaa suportar a dor, a ver o mundo mais cor de rosa, a ver o mundo através de uma garrafa. A frio, a seco, é mais duro enfrentar a realidade ou olhar para determinadas situações e pensar «como é que é possível?». Em muitos aspectos fundamentais, o mundo não está bonito... mas, de facto, a fuga não é solução."

Entretanto lembrei-me desta música. Outros tempos.

Vou andando por aí
Sobrevivendo à bebedeira e ao comprimido
Vou dizendo sim à engrenagem
E ando muito deprimido
E é difícil encontrar quem o não esteja
Quando o sistema nos consome e aleija
Trincamos sempre o caroço
Mas já não saboreamos a cereja

Jorge Palma

Frase do dia

Uma coisa é uma coisa... Outra coisa é outra coisa...

Parágrafo solto

Dou a aula a todos os alunos, porque eles são todos da mesma turma. Mas cada aluno compreende/aprende de maneira diferente de outro aluno. Cada um tem a sua maneira de aprender e dar aulas é tão simples como falar vinte e tal línguas ao mesmo tempo. O ideal seria dar tratamento diferente para alunos diferentes. Atingir os alunos nos seus diferentes modos de funcionamento é um dos maiores desafios de um professor. Não se pode desinteressar-se daquele que achou a aula fraca e pautar a aula por aquele que achou a aula muito boa senão arrisca-se apenas a que os bons alunos se tornem melhores e que os mais fracos se tornem piores. Não posso esquecer que sou responsável pelo progresso de cada um, tanto do fraco como do brilhante.

Você não me ensinou a te esquecer

Agora, que faço eu da vida sem você?
Você não me ensinou a te esquecer
Você só me ensinou a te querer
E te querendo eu vou tentando te encontrar
Vou me perdendo
Buscando em outros braços seus abraços
Perdido no vazio de outros passos
Do abismo em que você se retirou
E me atirou e me deixou aqui sozinho

Caetano veloso

O essencial é invisivel aos olhos


domingo, novembro 21, 2004

Axioma de D'hole

Nunca falte ao trabalho, pois é aí que o seu patrão pode ver que não precisa de você.

Treuze

Tudo o que faço na aula está a ser observado pelos meus alunos. Estou em directo. Actuo sem rede. As minhas mínimas reacções são observadas, os meus erros são imediatamente apontados.

Por uma vez, disse numa aula, “treuze” em vez de treze. Valeu-me uma alcunha que me persegue por todo o São Nicolau. O “treuze”. Todos os alunos, fora da sala de aula, me chamam “treuze”. Apesar de ter origem numa gaff minha, confesso que até acho alguma piada a este nominho (alcunha em crioulo). Até ver.

Sinto que os alunos têm um grande carinho por mim. Talvez porque a minha relação com eles, fora da aula, seja também diferente. Jogo futebol com eles nos intervalos. Falo com eles de outras coisas que não a escola. Meto-me com eles quando o Porto perde. Contudo, há uma coisa que já me começa a irritar. A obsessão deles pelo meu cabelo. No percurso até à sala de aula o meu cabelo é completamente estropiado. Especialmente quando estou a abrir a porta da sala de aula com a chave. Nesse momento estou de costas para os alunos que me rodeiam, e eles, anonimamente, são incapazes de resistirem ao meu cabelo. Chego até a chatear-me e a pedir um metro de distância enquanto abro a porta. Enfim...

Demitido

Estás demitido, obviamente demitido
tu nunca roubaste um beijo
e fazes pouco das emoções
és o espantalho dos amantes.
Estás demitido, obviamente demitido
evitas a competência
não reconheces o mérito
és um pilar da cepa torta

E assim vamos vivendo
na província dos obséquios
cedendo e pactuando enquanto der
filósofos sem arte, afugentamos o desejo
temos preguiça de viver

Estás demitido, obviamente demitido
subornas os próprios filhos
trocaste o tempo por máquinas
tu és um pai desnaturado.
Estás demitido, obviamente demitido
arrasas a obra alheia
às vezes usas pseudónimo
tu és um crítico de merda

E assim vamos vivendo...

Jorge Palma

Espelho meu, espelho meu, ...



Picasso

sábado, novembro 20, 2004

Lei da dispersão objectiva

Se você rouba idéias de um autor, é plágio. Se você rouba de muitos autores, é pesquisa.

Balanço

Aproveito este sábado para fazer um balanço deste blogue. Em primeiro lugar, agradeço a quem o tem visitado regularmente. Segundo os relatórios este blogue recebe cerca de 30 visitas diárias. Fico contente com o número. Parece pouco, mas para mim representa muito. Essencialmente porque o número se mantém constante ao longo da semana. Tal facto prova que tenho um conjunto de amigos fiéis. Não sei se têm o endereço adicionado aos vossos favoritos. Não sei o que vocês têm achado disto tudo. Sei que os comentários têm diminuído. Não sei se o interesse também. Talvez eu tenha escrito coisas menos interessantes. Talvez não agrade todos. Não sei. De qualquer forma, continuo empenhado e muito animado com este espaço. Espero que vocês também. Fiquem bem.

Escrever sem pensar

Tinha pensado escrever um post sobre Cabo Verde e as suas particularidades. Gostaria de estar a escrever sobre as promiscuidades existentes. A cultura de relacionamentos. A dissertar sobre as suas causas e consequências. Iria dar exemplos. Alguns muito engraçados. Tenho a certeza que seria muito interessante e que todos gostariam de ler. Mas, hoje não me apetece ordenar tantas ideias. Escrever frases pensadas. Aliás, devia ser sempre assim. Escrever sem pensar. De uma vez. Sem correcções.

Uma coisa com sentido

João amava Teresa que amava Raimundo que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili que não amava ninguém. João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento, Raimundo morreu de desastre, Maria ficou pra tia, Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes que não tinha entrado na história.

Carlos Drummond de Andrade

E esta heim?

.

sexta-feira, novembro 19, 2004

Proibido fumar

O governo tem intenção de fazer uma lei que visa proibir o tabaco em locais públicos fechados e locais de trabalho. Ora aí está uma boa notícia. Porque raio é que eu, sendo não fumador, tenho de fumar o fumo dos outros? Porque tenho de me sujeitar ao incómodo de ficar com a roupa e cabelo a cheirar a fumo? Porque tenho de ser eu a mudar de lugar quando o fumo de um cigarro está a incomodar-me? Será que os fumadores não sabem que a sua liberdade termina quando interfere com a liberdade dos outros? Será que os fumadores não sabem que quem está mal deve-se mudar? Ou eles não sabem que estão mal?

Os resultados dos testes

Passei o fim de semana anterior a corrigir testes. 179 alunos. 34 negativas. 47 notas acima dos 15 valores. Nada mau. Se pensa que os testes são fáceis está muito enganado. De qualquer forma, tenho dúvidas que estas notas se mantenham no próximo teste. A ver vamos.

Falta 1 Mês!

Falta precisamente um mês para chegar a Portugal. De férias claro. Apesar de ter muitas saudades ainda não ando ansioso. Mas confesso que a ideia de passar o Natal em família me conforta. O ano passado passei o natal em Cabo Verde. O dia 25 foi passado na praia a tomar banhos de sol. Uma coisa estranhíssima. De facto, Natal sem frio, sem família, sem crianças ansiosas, sem comida tradicional, sem prendas ... nem chega a ser Natal.

Jorge Palma



Já devem ter-se apercebido que gosto muito do Jorge Palma. Descobri Jorge Palma aos 17 anos. Primeiro estranhei, depois entranhei. Vi mais do que 20 concertos ao vivo e tenho quase todos os seus discos. Não consigo explicar tanto devoção. A verdade é que há muita gente a cantar, mas só o Palma me consegue falar pela música.

Ao que parece vai sair um novo disco. Já ouvi dizer que não está grande coisa. Mas, como fã incondicional, não acredito. Para mim é e continuará a ser o melhor. "O Palma é o último de uma classe de artistas que não volta mais, o último dos poetas que tocam na alma de quem quer pensar, o último dos músicos que tocam por prazer de tocar, tocando em cada um de nós de uma forma diferente".



quinta-feira, novembro 18, 2004

Lei de Jenkings

Errar é humano, mas quando a borracha se gasta mais do que o lápis, você está positivamente exagerando.

As minhas manhãs

Diz o meu pai que é de manhã que se faz o dia. Não concordo nada. No meu caso as manhãs continuam muito curtas. Repare. Acordo por volta das 8 horas com o barulho das obras aqui no andar de baixo. Às vezes também acordo com o barulho das mulheres a falar ou com o som do pilão a "cochir" milho. Ligo a internet e, ao som do Jorge Palma ou de alguma música brasileira, fico até às 9 horas e meia a ler os jornais e os meus blogues favoritos . Depois vou tomar banho. Visto-me e como um iogurte com uma banana. Muitas vezes não como nada. Ligo a TV, mas como não dá um programa de jeito de manhã, desligo-a novamente. Com isto tudo já são 10h45. Vou à rua deixar o lixo e aproveito para apreciar a vista e ver as pessoas nas ruas. Volto ao quarto. Vejo que aulas vou dar e preparo as aulas. São 11horas e meia. Volto para a cozinha. Ligo a TV. Preparo o almoço e, ao mesmo tempo, oiço o horrível SIC 10 horas. Enquanto a comida está no lume, lavo a loiça do jantar do dia passado. Entretanto já é meio dia e enquanto ponho a mesa e vigio a comida, assisto ao Jornal da tarde da SIC. Por volta do meio dia e meia a Helga chega e nós almoçamos. Ela conta-me as novidades da escola e eu não lhe conto nada porque não tenho nada para contar. Levanto-me da mesa por volta das 12h45, ficando com 12 minutos para me arranjar, lavar os dentes e ver se tenho algum e-mail. São 12h57 e vou para a escola. Chego à escola. Toca o sino das 13 horas, e acaba a minha manhã e fico com a sensação que o dia ainda nem começou.

Citação

Apresso-me a rir de tudo, com medo de ser obrigado a chorar.

Beaumarchais , Pierre

Antevisão

Santana Lopes, no congresso do PSD, além de dizer que queria que o país vá subindo no seu astral, disse que queria governar Portugal por mais 10 anos para mudar Portugal. A este propósito encontrei, no jumento, a seguinte antevisão do que poderia ser Portugal daqui a dez anos com Santana Lopes:

-A Comissão Europeia divulga estatísticas que comprovam que Portugal é o país europeu que apresenta o maior Astral. Aliás, o Astral passou a ser a principal exportação portuguesa levando a que Portugal apresente pela primeira vez uma balança comercial equilibrada.

-A Astróloga Maia aposentou-se como presidente do Instituto Nacional de Estatística.

-A PT fez um protocolo com Stanley Ho para utilizar as cabines telefónicas que ficaram obsoletas em máquinas de jogo.

-As obras do túnel do Marquês estão a andar a bom ritmo.

-Um novo túnel liga a residência oficial do primeiro-ministro à Avenida 24 de Julho.

-Os 27 habitantes de Almofala, aldeia do concelho de Figueira de Castelo, vieram a Lisboa manifestar-se junto da residência de férias do primeiro-ministro, no Palácio de São bento, queixando-se que o conselho de ministros reuniu naquela localidade apenas três vezes.

-Os astronautas da estação espacial americana foram surpreendidos ao repararem que além da muralha da china, a segunda obra humana visível eram outdoors instalados em Portugal.

-Luís Delgado é director simultâneo da SIC, TVI e RTP, acumulando funções como administrador da Lusa, DN, Público, 24 horas, Expresso, Independente, RDP, TSF, RR e revista Maria.

-Paulo Portas é presidente da Associação Portuguesa das Famílias Numerosas.

-Manuel Monteiro regressou ao CDS onde lidera uma facção heterossexual.

-Nobre Guedes anunciará que Portugal está tão limpo que os portugueses até voltaram ao saudável hábito de andarem descalços, excepto nas zonas turísticas onde se mantém um velha proibição do pé-descalço.

-A sede da Organização de Unidade Africana foi instalada no Pavilhão de Portugal, na Feira das Nações.

-A barragem de Alqueva vai servir para cenário do Lago dos Cines.

-A Cinha Jardim é Presidente da Cruz Vermelha Portuguesa, estando a Santa Casa da Misericórdia a cargo de uma antiga jornalista russa.

-Rui Gomes da Silva, que se dedicou ao jornalismo, acabou por ganhar o prémio Politzer.

-Acabou de ser operado o último doente que aguardava a sua vez na fila para as cirurgias; a intervenção cirúrgica realizou-se no Instituto de Medicina Legal do Porto.


A ausência

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.

Carlos Drummond de Andrade

Mal me quer, bem me quer, ...


Grande novidade!

Como se ainda ninguém tivesse percebido, a Alta Autoridade para Comunicação Social concluiu terem existido pressões governamentais ”ilegítimas” no caso Marcelo.
Perante estas conclusões, o presidente do grupo parlamentar do PSD afirma que “a AACS já devia ter sido extinta e que o que é necessário é ter uma entidade reguladora isenta”, quando há um mês recusou um inquérito parlamentar por considerar que a “AACS é a entidade competente para apurar a verdade”.

Peço desculpa por hoje só ter escrito sobre política, mas isto está de bradar aos céus! Por favor tirem-me deste filme. Ou pelo menos mudem os actores.

quarta-feira, novembro 17, 2004

Selecção Nacional

Soube hoje que os novos fatos da Selecção Nacional de futebol masculino vão ser desenhados pela Fátima Lopes. Suponho que não faltarão os decotes arrojados e as longas rachas.
O Paulo Portas agradece.

Demissão de José Rodrigues dos Santos

Já tenho falado na obsessão deste Governo pela imagem. Prova disso é o facto de todas as semanas haver uma notícia de interferência do governo nos meios de comunicação social. Primeiro foi com a TVI, com a censura a Marcelo. Depois foi no Diário de Notícias com a substituição do director do jornal. Agora foi na RTP com o pedido de demissão de José Rodrigues dos Santos.

Ao que parece a substituição de José Rodrigues do Santos já era notícia há alguns dias, pois o próprio governo , ao Jornal Expresso da semana passada, “admitia mexer na direcção da RTP”. Segundo Rodrigues dos Santos, a demissão deve-se por não concordar no critério da escolha para a correspondente em Madrid. Como não podia deixar de ser o escolhido era um jornalista próximo do PSD.Ainda não se sabe quem vai ser o novo director de informação da RTP. Tenho a certeza, se pudesse, o governo escolheria o Luis Delgado. Como isso é muito evidente, talvez escolha uma pessoa mais neutra. Talvez uma Judite de Sousa (mulher de um destacado militante do PSD) ou alguém do género.

Não há coincidências

No domingo passado a RTP cortou abruptamente a emissão do "Contra-Informação" e sem dar qualquer explicação colocou de imediato uma série qualquer no ar.
Ora, ao que parece, o "Contra-Informação" foi interrompido precisamente na altura, em que os bonecos caricaturais de Pedro Santana Lopes, que fazia de "Shrek", e de Paulo Portas (travestido), vestido de "Fiona", iam abraçar-se. Que coincidência. Ou não.

A crise no governo

Durante este fim de semana ocorreu o congresso do PSD. O único facto que resultou desta festa partidária foi uma crise política entre a coligação. Não é estranho ter havido uma crise. O estranho é ter demorado tanto tempo para acontecer. Naquele jeito de políticos populistas e hipócritas, Paulo Portas e Santana Lopes desmentiram ter existido qualquer crise. Conversas normais, dizem-nos eles. Assim, infelizmente, podemos ficar descansados que isto não vai dar em nada. O medo de uma eventual perda de poder resolve qualquer tipo de crise.

Cabo Verde sem internet durante dois dias

Voltei. Ainda não foi desta que desisti. De facto, não tenho actualizado o blogue por motivos alheios à minha vontade. Cabo Verde esteve dois dias sem ligação à internet. Nada de muito grave para quem está habituado a não ter luz e água muitas vezes por mês.

Ao que parece, um barco, que se movimentava no porto da cidade da Praia, cortou o cabo submarino internacional de comunicações provocando a interrupção da ligação à internet. Enquanto o cabo não é consertado, vai demorar 15 dias, as ligações fazem-se, a partir de hoje, por satélite.

terça-feira, novembro 16, 2004

Problemas técnicos - 2º dia

Cabo Verde está sem internet. Por isso não posso actualizar o blogue. As minhas desculpas em nome do comandante do barco que cortou o cabo de telecomunicações internacional.


segunda-feira, novembro 15, 2004

Fora de serviço


domingo, novembro 14, 2004

Confissões de um professor

Um dos problemas com que me confronto muitas vezes é explicar o simples. Acho que tenho mais dificuldades em explicar o simples do que o mais complexo. Há coisas que para mim são tão simples que nem me preocupo em saber explicar, porém são as que exigem maior preparação. Confesso que a situação que mais me incomoda numa aula é quando o aluno, apesar de se esforçar, não percebe. Fico completamente frustrado pois não consigo achar a forma mais adequada para ele perceber. Explico duas, três vezes e o aluno não consegue compreender. Nestas situações sinto-me incompetente.

Muitas vezes a solução passa por pedir a outro aluno que já percebeu, que explique a este aluno. E, não é que funciona! Parece que estava a falar uma linguagem diferente e que alguém a traduziu. Será que já me esqueci de falar a linguagem das crianças?

Contudo, também há alunos que não conseguem, não querem aprender. Parece que os estudos não são para eles. Muitas vezes estes alunos estão fisicamente na aula mas tenho duvidas se realmente estão lá. Quando os alunos não têm sucesso escolar diz-se que os alunos têm dificuldades de aprendizagem. Mas não serão os professores e a escola que estão em dificuldades?

Frase do dia

Como podem dizer alguns economistas que o orçamento é opaco? É opaco porque é imaginativo.

Pedro Santana Lopes

Cara de anjo mau

Os teus olhos são cor de pólvora e o teu cabelo é o rastilho
O teu modo de andar é uma forma eficaz de atrair sarilho
A tua silhueta é um mistério da criação
E sobretudo tens cara de anjo mau

Que posso eu fazer ao ver-te acenar a ferida universal?
Que posso eu desejar ao avistar tão delicioso mal?
Que posso eu parecer quando me sinto fora de mim?
Que posso eu tentar senão ir até ao fim?

Por ti mandava arranjar os dentes e comprava um colchão
Por ti mandava embora o gato por quem tenho tanta afeição
Por ti deixava de meter o dedo no meu nariz
Por ti eu abandonava o meu País

Cara de anjo mau, tu deitas tudo a perder
Basta um olhar teu e o chão começa a ceder
Cara de anjo mau, contigo é fácil cair
Quem te ensinou a ser sempre a última a rir?

Jorge Palma

As aulas



Nesta foto estão alguns dos meus alunos numa aula. A fotografia apenas conseguiu apanhar metade da turma, mas penso que dá para ficar com uma ideia. A menina da frente, que não está com a farda, é a minha melhor aluna. O ano passado dei-lhe 20 de nota final.

De facto, tenho alguns alunos com muito potencial. Possivelmente com a idade, perderão o interesse e a motivação para os estudos. Além disso é difícil manter a ambição para estudar quando se é proveniente de uma família pobre e humilde. Os custos são elevados e as famílias não vêm nisso uma grande vantagem. Por ouro lado as bolsas são muito difíceis de conseguir.

Enfim...Por casua disto tudo, às vezes apetece-me levar uns quantos para Portugal...

sábado, novembro 13, 2004

Porque hoje é sábado

Estou a corrigir testes. Mas estou sem ritmo e vontade. Por cada dois testes faço uma pausa. O pior é que estou com sono, pois hoje acordei às 7h45m com o barulho do pilão. Entenda-se. Pilão é um instrumento artesanal , muito reproduzido nas pinturas africanas, que as mulheres usam para tirar a pele do milho, de forma a poder ser cozinhado na cachupa. A propósito hoje vou almoçar, cachupa com peixe frito, ali à Da Lapa. Para quem não sabe, cachupa é a base da alimentação em Cabo Verde. Milho, feijão, alguma carne ou peixe, e um ovo estrelado por cima. Digamos que é parecido com uma feijoada, mas com milho e com menos carne. Eu gosto. Além disso é barato.

Citação

O raciocínio lógico leva você de A a B. A imaginação leva você a qualquer lugar que queira.

Albert Einstein

Raios! Deixem-me em paz!


sexta-feira, novembro 12, 2004

Um selo para as CERCI

Este governo não pára! Pelo menos na sua eterna campanha e auto-promoção. Ao que parece, nos próximos dias iremos receber uma carta do governo, supostamente a propósito do Orçamento de Estado. Mais uma das suas comunicações ao país...

Sabendo disso, numa acção conjunta de alguns blogues , propõe-se que, cada pessoa que queira, envie uma mensagem electrónica para o Primeiro-Ministro com o seguinte teor:

Senhor Primeiro-Ministro

Estando perfeitamente elucidado sobre o Orçamento de Estado para 2005 e sabendo que V.Ex.ª. tenciona enviar-me uma carta em que dará esclarecimentos de que prescindo, solicito que se abstenha do respectivo expediente e faça entrega do montante respectivo a uma CERCI à escolha de Vossa Excelência.
Respeitosamente

Ass.

Frase do dia

Ainda na ressaca das eleições americanas, recebi esta frase de uma amiga:

"Errar é humano, persistir no erro é americano!"

Ká tem aula hoje!

Chego agora da escola. A escola estava fechada. Não há aulas. Os meus alunos dizem-me que é um feriado da natureza. Devido à chuva. De facto, em São Nicolau continua a chover. Muito. Claro que, em Portugal, não seria motivo para não haver aulas. Por aqui é mais do que motivo. A explicação é que a escola não está adaptada para estas condições atmosféricas. Os pátios estão cheios de água e os alunos não têm locais para se abrigarem nos intervalos.

Deveria aproveitar esta folga imprevista para corrigir os duzentos testes que estão para ali na prateleira. Mas não sei se me apetece. Afinal, quando chove, chove para todos.

Citação

Nunca faça previsões, especialmente sobre o futuro.

Goldwyn , Samuel

Como será o mundo daqui a 20 anos? Se Jesus não voltar antes, claro.

Vou arriscar uma ideia. Daqui a 20 anos imagino todas as pessoas cadastradas pelo DNA em vez de uma simples impressão digital. Claro que até lá muitos problemas éticos serão levantados. Mas acho que a eficácia da medida irá se sobrepor. Aliás, isto não é nada de muito inovador. Numa pequena cidade em Inglaterra esta experiência é usada com enorme sucesso. As pessoas sentem-se mais seguras e a taxa de criminalidade baixou. Penso que será uma boa ideia. Ou talvez não.

De qualquer forma, as frases em baixo, mostram-nos que este tipo de previsões são muito difíceis. Aliás algumas são inimagináveis.

· "Tudo o que podia ser inventado já foi inventado" Charles H. Duell, Gerente do Escritório de Patentes dos Estados Unidos, em 1899
· "Quem imagina que a transformação do átomo possa ser uma fonte de energia está falando bobagem" Lord Rutheford, o descobridor da fissão nuclear, em 1930
· "O fonógrafo não tem nenhum valor comercial" Thomas Edison, inventor do toca-discos, em 1880
· "É uma invenção maravilhosa, mas não passa de um brinquedo" Gardiner Hubbard, sogro de Alexander Graham Bell, o inventor do telefone, em 1876
· "Em seis meses a televisão some do mercado. As pessoas vão se cansar de ficar sentadas diante de uma caixa de madeira" Darryl F. Zanuck, presidente da 20th Century Fox, em 1946
· "Não existe nenhuma razão que justifique uma pessoa ter um computador em casa" Ken Olson, fundador da Digital Equipment Corporation, a maior competidora da IBM, em 1977

Problema de expressão

Só pra dizer que te Amo,
Nem sempre encontro o melhor termo,
Nem sempre escolho o melhor modo.

Devia ser como no cinema,
A língua inglesa fica sempre bem
E nunca atraiçoa ninguém

O teu mundo está tão perto do meu
E o que digo está tão longe,
Como o mar está do céu.

Só pra dizer que te Amo
Não sei porquê este embaraço
Que mais parece que só te estimo.

E até nos momentos em que digo que não quero
E o que sinto por ti são coisas confusas
E até parece que estou a mentir,
As palavras custam a sair,
Não digo o que estou a sentir,
Digo o contrário do que estou a sentir

E é tão difícil dizer amor,
É bem melhor dizê-lo a cantar.
Por isso esta noite, fiz esta canção,
Para resolver o meu problema de expressão,
Pra ficar mais perto, bem mais de perto.
Ficar mais perto, bem mais de perto.

Clã

Boa sorte


quinta-feira, novembro 11, 2004

Classificados

Aluga-se T1, em Paio Pires, completamente mobilada. Excelente localização. Se souberem de alguém contactem-me, pois a minha inquilina vai-se embora no fim do mês e eu preciso de alugar a minha casa até julho!

Citação

Quem não pode o que quer, queira o que pode.

Leonardo da Vinci

Yasser Arafat



Yasser Arafat , finalmente, morreu. Apesar de ter sido Nobel da paz,não tenho nenhuma simpatia especial por ele. Foi um terrorista assumido durante 20 anos da sua vida. Nos últimos tempo apoiava e mantinha grupos terroristas como o Hamas e a Al Aqusa. Mais, foi um ditador corrupto que acumulou uma fortuna enorme (por exemplo, pagava uma mesada de 150 mil euros mensais à sua mulher, em Paris), ao mesmo tempo ia levando o seu povo a viver na miséria, em Gaza e na Cisjordânia. Sempre fingiu querer a paz para a rejeitar repetidamente cada vez que ela se aproximava.

Com a sua morte, dizem que se abre uma janela de oportunidade para a resolução do conflito do médio oriente. Mas, ao que me parece, ainda não vai ser desta, a não ser que Jesus volte.

Uma certa fobia às palavras

Maria parou no meio da rua, assim, de repente. Sentiu um arrepio que a fez gelar e os seus olhos ficaram colados ao chão. desejou que uns dedos, feitos de ar, feitos de raios de sol, agarrassem a sua cara, lhe fechassem os olhos e a deixassem adormecer num abraço. Maria tem destas coisas... Todos os seus pensamentos são segredos que se vão acumulando em pequenas caixas de cartão azul. Caixas que se vão acumulando em pilhas, que se vão afogando em pó. O que Maria não sabe é que parou ali, no meio da rua, para não tropeçar, não cair. Maria não anda muito, porque tem medo de cair. Maria só diz o essencial, para não fazer figura de parva. Maria tem medo que os olhos de estranhos percorram a sua pele, a sua roupa, se riam do seu cabelo. Esconde as mãos nos bolsos e não levanta os olhos. E distraiu-se, está ali parada, sem perceber, há demasiado tempo. De certeza que alguém já notou. Segue o seu caminho. Apetece-lhe dar passos muito lentos mas tem pressa de chegar a casa.

Maria, vou abraçar-te pelas costas e sentir no meu braço o teu coração bater. Vou puxar-te pela mão e obrigar-te a vir comigo. Empurrar-te para a relva, para veres que não dói cair. E dizer-te com um sorriso nos lábios que não faz mal, que a roupa se lava. E se não disseres nada, com medo do que eu possa pensar, vou beijar-te. Vou dizer eu todas as palavras que o teu cheiro desperta em mim. Até que um dia, quando os outros olharem, tu tenhas orgulho de estar ao meu lado.

Liliana Moita

Em defesa dos direitos dos animais



Politicamente(in)correcto

quarta-feira, novembro 10, 2004

Citação

A vida é uma pedra de amolar: desgasta-nos ou afia-nos, conforme o metal de que somos feitos.

George Bernard Shaw

Carta de uma aluna

O prometido é devido. Por isso, em baixo, está reproduzida a carta que uma aluna me enviou num destes dias. Não posso deixar de partilhar este momento, porque me causou um enorme sorriso. A menina que escreveu foi minha aluna o ano passado. Este ano não dou aulas à turma dela. Desde o ano passado que percebo que ela tem um um fraquinho por mim, pois estava sempre no meu caminho por onde quer que eu fosse. Esta carta foi-me entregue por uma outra colega dentro de um envelope fechado. Não li a carta à frente de ninguém respeitando o pedido expresso na carta. E, como é óbvio, também não lhe respondi. Mas já a encontrei na rua e disse-lhe que tinha gostado de ler a carta que me tinha enviado. Ela ficou super envergonhada e muito embaraçada. O que é certo é que agora poucas as vezes a encontro no meu caminho. Acho que me abandonou...

João Narciso eu estou a te escrever estas duas linhas de carta para pedir-te desculpas pelas cartas que eu andei a te escrever. Eu sou muito sonhadeira e pensei muito alto, tu nuncas ias, gostar de mim, para ti ainda sou uma criança, mas prometo que vou tentar te esquecer por mais duro que seja. Espero que me perdoas e que continua a ser meu amigo. Me responde essa carta se tu continua a gostar como a tua amiga e por favor não lê essa carta à frente de ninguem. Me desculpa por favor João Narciso. Não esqueças de responder-me, essa carta é muito importante para mim.

O verdadeiro amigo não é aquele que nos alegra com mentiras mas sim aquele que nos alegra com verdades.

Sou a xxxxxx turma 9ºD"

Post adiado

O almoço está feito. Grão com atum. De lata. Até há bem pouco tempo estava sem electricidade em casa. Por isso, não pude escrever um post que tinha previsto. De qualquer forma, aguardem, porque reproduzirei a última carta de amor que recebi. De uma aluna.

Hoje vou dar teste ás minhas turmas do 8º ano. Vai ser um desgaste enorme. Apesar de haver dois testes diferentes, com 45 alunos por turma, fica difícil garantir que não copiem. Espero que lhes corra bem. Eu esforcei-me por isso.


Amor e sexo

Amor é um livro
Sexo é esporte
Sexo é escolha
Amor é sorte

Amor é pensamento, teorema
Amor é novela
Sexo é cinema

Sexo é imaginação, fantasia
Amor é prosa
Sexo é poesia

O amor nos torna patéticos
Sexo é uma selva de epiléticos

Amor é cristão
Sexo é pagão
Amor é latifúndio
Sexo é invasão
Amor é divino
Sexo é animal
Amor é bossa nova
Sexo é carnaval

Amor é para sempre
Sexo também
Sexo é do bom...
Amor é do bem...
Amor sem sexo,
É amizade
Sexo sem amor,
É vontade

Amor é um
Sexo é dois
Sexo antes,
Amor depois

Sexo vem dos outros,
E vai embora
Amor vem de nós,
E demora

Amor é isso,
Sexo é aquilo
E coisa e tal...
E tal e coisa...

Rita Lee

A minha homenagem


terça-feira, novembro 09, 2004

Lei da impossibilidade adiada

Não há melhor momento do que hoje para deixar para amanhã o que você não vai fazer nunca.

Leitura (in)dispensável

Acabo de ler um excelente texto sobre o politicamente correcto. O texto está no Semiramis. Apesar do texto estar um pouco à minha direita partilho da opinião da autora. De leitura obrigatória para quem tem tempo e se interessa por estes assuntos. Fica um aperitivo:

“Há dias foi assassinado, numa rua de Amesterdão, em pleno dia, Theo van Gogh, que havia realizado um filme sobre o humilhante papel da mulher na sociedade islâmica. Já havia recebido ameaças de elementos islâmicos. O suspeito do assassínio foi descrito como tendo barba comprida, estar vestido como um muçulmano e ter nacionalidade marroquina. Qualquer descrição que ultrapassasse esta forma de adivinha poderia ser considerada racista e xenófoba. Este assassinato tem permanecido relativamente em silêncio nos meios intelectuais. É natural, o politicamente correcto tem dificuldade em lidar com europeus loiros serem assassinados por muçulmanos de barba comprida. Se fosse o contrário, toda a intelectualidade estaria a redigir proclamações e abaixo-assinados de protesto. Neste caso o politicamente correcto tem o dever de ser discreto, pois se o não fosse poderia passar por racista, xenófobo, etc..”

in Semiramis

Não digas nada!

Faz-me o favor de não dizer absolutamente nada!
Supor o que dirá
Tua boca velada
É ouvir-te já.

É ouvir-te melhor
Do que o dirias.
O que és nao vem à flor
Das caras e dos dias.

Tu és melhor - muito melhor! -
Do que tu.
Não digas nada. Sê Alma do corpo nu
Que do espelho se vê.

Mário Cesariny

Publicidade gratuita

A foto em baixo foi roubada do ComplexamenteSimples. O autor é o seis e meia. O rapaz tem muito talento. Um verdadeiro artista. Vale a pena visitar o seu photoblog.

Vais cair?



By seis e meia

Provérbio chinês

Há três coisas na vida que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida.

segunda-feira, novembro 08, 2004

O problema da água em São Nicolau

Confesso que já tinha saudades da chuva. Continua a chover em São Nicolau. Parece um dia de inverno de Portugal. Faz um pouco mais frio e está um vento que sacode as árvores de uma forma violenta. Sente-se o cheiro da terra molhada. Apesar da terra estar sedenta de água existem algumas poças na rua que servem de brincadeira entre os miúdos.

Imagine o que é viver sem água na torneira. De facto, a água só é distribuída na rede uma vez por mês. No entanto, quase todas as pessoas têm um depósito de água nas suas casas, que dá pelo menos para uma semana. Assim, as pessoas têm de ir buscar água à fonte todos os dias de manhã. As mulheres e crianças desempenham essa tarefa. Desde muito novas que as pessoas estão habituadas a isto, e de alguma forma, esta tarefa é também um acto social. De manhã é normal haver uma grande fila de pessoas para tirar água da fonte e ver as mulheres carregando bidões de 20 litros ou mais á cabeça. Aqui o banho toma-se com um balde, e toda a água é aproveitada sem desperdício. Eu tenho a sorte de viver numa pensão, o que me permite ter água sempre e de até ter água quente no chuveiro. Devo ser dos poucos com esse privilégio pois o dono da pensão nunca deixa a água acabar nos depósitos, comprando por mês alguns milhares de litros de água.

Além do problema da água nas casa das pessoas, existe o problema da água para a agricultura. Aqui a coisa assume dimensões ainda mais preocupantes. São Nicolau é uma ilha rural. Sem água não há agricultura, não há trabalho e, em última análise, não há comida. Quando chove as pessoas ficam todos entusiasmadas e semeiam milho e outras culturas. Tudo nasce e fica verde. Contudo, como as chuvas são esporádicas e muito raras, passadas umas semanas tudo seca, causando uma enorme frustração nas pessoas. Não é fácil.

Ao que parece amanhã também vai chover. Boa notícia , não acha?

Ultima hora

Está a chover em São Nicolau. Há pelo menos 10 minutos que chove. Há uma ano que estou em Cabo Verde e é a primeira vez que vejo chover.Não imagina o que isso significa para os São Nicolenses, pois a falta de água é o maior problema desta população. Noutra altura falarei disto. Agora é altura de partilhar o sentimento de alegria deste povo e contar cada gota que cai.

O momento em que começa a chover em São Nicolau


Poema

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luis de Camões

domingo, novembro 07, 2004

O merecido elogio

Há coisas que me fazem ficar feliz de um minuto para outro. Uma delas é quando o Benfica ganha. Outra, quando o Porto perde. No grande jogo da jornada, defrontaram-se os dois primeiros classificados. Setúbal e Benfica. O Benfica fez o melhor jogo da temporada e ganhou por 4-0. Espero que amanhã também fique feliz.

A este propósito deixem-me fazer um merecido elogio ao Trapatoni. Apesar dos seus 65 anos e de ser o treinador com mais títulos conquistados na europa, o homem mostra uma humildade e um profissionalismo nada habitual. Além de nos treinos correr mais do que o Zahovic, o que até não é nada demais, admiro-o por se esforçar em falar português em todas as entrevistas que faz. Belo exemplo.

Todo o mundo quer ir para o céu...mas não agora!

Hoje de manhã fui à igreja Nazareno. Apesar da igreja ser pequena, com cerca de 30 pessoas, tem uma grande vida e transmite uma enorme alegria. O louvor é o espaço privilegiado e não se consegue ficar indiferente às poderosas vozes que entoam lindos cânticos. A mensagem de hoje foi sobre a segunda vinda de Jesus Cristo. A este propósito lembrei-me de uma frase, politicamente incorrecta mas verdadeira na maioria dos casos, que diz “todo o mundo quer ir para o céu...mas não agora”. Talvez seja esse o nosso problema. E nesse caso, acho que é um problema sério.

Citação

O homem que sofre antes de ser necessário, sofre mais que o necessário.

Séneca

A Prova



Aqui está a prova que faltava. Eu também danço. Apesar de ainda haver algumas dúvidas, parece que sou mesmo eu. A cena passou-se no tarrafal, há dois fins de semanas passados. A minha acompanhante é a primeira dama de São Nicolau, representante da ilha ao concurso da Miss de Cabo Verde.

Notem que ela estava feliz. Imagino que eu também. Ou não.

sábado, novembro 06, 2004

Citação

Quanto maior a dor, maior o alívio.

Jô Soares

Experiências da minha vida

As histórias do meu pai preenchem o meu imaginário. Talvez mais do que isso. Hoje, recordava uma história que o meu pai me contou dezenas de vezes sempre como fosse a primeira vez. A história, como sempre, tem um ensinamento, que hoje quero, assumidamente, por em causa.

O meu pai fez a tropa à cerca de 50 anos atrás. Apesar do meu pai não ter ido para nenhuma guerra, foi sujeito, enquanto militar, a manobras militares, que segundo ele, eram treinos muito parecidos com uma guerra real.

Após estar três dias fora do quartel, numa dessas manobras, conta o meu pai, que, quando ia na caminhada a pé de regresso para o quartel, sentiu uma fome imensa. Por sorte, encontrou uma cebola perdida no chão de um dos campos que percorrera até chegar ao quartel. Apesar da fome ser muita, o meu pai conta que guardou a cebola dentro da mochila, pois lembrou-se que tinha um bocado de pão duro dentro do cacifo no quartel.

Assim, conta ele que, quando chegou ao quartel, foi logo buscar o pão duro e bolorento que tinha guardado e que, juntamente com a cebola, fez a melhor refeição da sua vida. Pode pensar que estou a exagerar, mas o meu pai afirma, que nunca na vida comeu algo que lhe soubesse tão bem. Pão duro e bolorento com cebola e muita fome. Mais, já experimentou, por variadas vezes, repetir a ementa, mas nunca mais conseguiu ter semelhante sensação. Pelo contrário.

A história tem alguma lógica. Podemos até generalizá-la a muitas outras coisas. Eu por exemplo, sempre com esta história em mente, tento sempre obter o máximo prazer das coisas. Por exemplo, espero ter fome para poder comer. Ou aguento o máximo sem fazer chichi para depois sentir um maior prazer quando fizer. (...) Pode achar estranho, mas são experiências interessantes que valem a pena fazer.

No entanto, nesta minha busca do prazer tive, e continuo a ter, uma grande decepção. Beber água. De facto, por muita sede que tenha, beber água não me satisfaz. Pelo contrário, fico cheio mas não tiro daí nenhum prazer. Não sei se já passou pela mesma situação, mas a mim acontece-me sempre que tento saciar a minha sede. Uma sede imensa nunca é correspondido, enquanto bebemos água, por um prazer imenso. Uma desilusão. Chego sempre à conclusão que não vale a pena ter sede para beber água. Não compensa. Experimente e vai ver que tenho razão.

Lei da falha irreversível

Quando você marca um número de telefone errado, nunca dá ocupado.

Dias breves

Vão breves passando
Os dias que tenho.
Depois de passarem
Já não os apanho.

De aqui a tão pouco
Ainda acabou.
Vou ser um cadáver
Por quem se rezou.

E entre hoje e esse dia
Farei o que fiz:
Ser qual quero eu ser,
Feliz ou infeliz.

Fernando Pessoa

Enquanto houver estrada para andar, eu não vou parar...


sexta-feira, novembro 05, 2004

O que eu gosto

Gosto de sonhar quando já estou meio acordado. Gosto de acordar sem sono. Gosto que me digam bom dia. Gosto de sentir a brisa da manhã. Gosto de ver as pessoas a passar na rua. Gosto de ver crianças a brincar. Gosto de brincar com os meus sobrinhos. Gosto de ser criança. Gosto de rir sem motivo. Gosto de pessoas bem humoradas. Gosto de pessoas sinceras. Gosto de pessoas com personalidade. Gosto das letras do Jorge Palma. Gosto das entrevistas do Lobo Antunes. Gosto de ler C.S.Lewis. Gosto de reler o principezinho. Gosto de filmes com histórias de mafiosos. Gosto de pessoas corajosas. Gosto de pessoas perseverantes. Gosto que me cativem. Gosto de mulheres que lutem por mim. Gosto de mulheres decididas. Gosto de mulheres misteriosas. Gosto de olhar nos olhos de uma mulher. Gosto de cabelos compridos. Gosto dos meus pés. Gosto de passear. Gosto de ouvir o mar de noite. Gosto do Brasil. Gosto de música brasileira. Gosto de São Nicolau. Gosto das pessoas de São Nicolau. Gosto dos meus alunos. Gosto de ajudar os outros. Gosto de resolver problemas. Gosto de me sentir de dever cumprido. Gosto de ter ideias que ninguém teve. Gosto de ter razão. Gosto que me compreendam. Gosto de conhecer pessoas interessantes. Gosto de pessoas inteligentes. Gosto de uma boa conversa. Gosto de ser diferente. Gosto de por limão em todo o tipo de comida. Gosto de beber café acompanhado de um copo de água. Gosto de ler o jornal na cama. Gosto de internet. Gosto de estar em casa quando está frio. Gosto de ver a minha família junta. Gosto de ver a minha mãe rir. Gosto de me sentir confortável. Gosto de cozinhar. Gosto de comer marisco no verão. Gosto de gatos. Gosto de correr com os meus cães. Gosto de não ter nada para fazer. Gosto de me sentir livre. Gosto de muitas coisas que não me consigo lembrar. Gosto de ti.

quinta-feira, novembro 04, 2004

Máxima do dia

Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos.

in Jumento

O que há em mim é sobretudo cansaço

O que há em mim é sobretudo cansaço
Não disto nem daquilo,
Nem sequer de tudo ou de nada:
Cansaço assim mesmo, ele mesmo,
Cansaço.

A subtileza das sensações inúteis,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto alguém.
Essas coisas todas -
Essas e o que faz falta nelas eternamente -;
Tudo isso faz um cansaço,
Este cansaço,
Cansaço.

Há sem dúvida quem ame o infinito,
Há sem dúvida quem deseje o impossível,
Há sem dúvida quem não queira nada -
Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles:
Porque eu amo infinitamente o finito,~
Porque eu desejo impossivelmente o possível,
Porque eu quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser,
Ou até se não puder ser...

E o resultado?
Para eles a vida vivida ou sonhada,
Para eles o sonho sonhado ou vivido,
Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto...
Para mim só um grande, um profundo,
E, ah com que felicidade infecundo, cansaço,
Um supremíssimo cansaço.
Íssimo, íssimo. íssimo,
Cansaço...

Álvaro de Campos

Quando tudo funciona ao contrário



Escher

Hora de dormir

São 23h47m. Cheguei a casa à coisa de 10 minutos. O jantar foi muito agradável. Dos poucos restaurantes que existem em São Nicolau, optámos pelo Recanto. Mesas ao ar livre, desprovido de qualquer tipo de luxo, mas com um serviço rápido e simpático. A comida foi variada. Búzio, Lapas, polvo e lagosta. A acampanhar, na falta de vinho branco, umas cervejas sagres. Das pequenas, claro.

Melhor que o jantar foi a conversa. Super agradável. Altura de fazer o ponto da situação, de partilhar experiências e projectos. Ainda fizemos uma pequena caminhada pela vila. Oportunidade para aferir a presença do estilo português em algumas construções e a beleza de alguns outros recantos. Autênticos postais.

quarta-feira, novembro 03, 2004

Hora de Jantar

São neste momento 19h12m. Aproveitanto a presença do reponsável português pela cooperação em Cabo Verde, em São Nicolau, a propósito de uma mesa redonda para o desenvolvimento desta ilha, vou jantar fora.

Confesso que estou animado. Não é pelo jantar. Não é pela Lagosta. Mas sim pelo facto de poder conversar com aguém que partilhe as mesmas raízes. Confesso que a visita de um conterrâneo é sempre motivo de animação. Quem está fora do país entenderá.

Verdade fundamental de Gerrold

É uma boa coisa que o dinheiro não possa comprar a felicidade.
Nós não aguentaríamos os comerciais.

Hora de almoço

São 11h06 minutos em Cabo Verde. Hora de começar a pensar no almoço. Já coloquei o frango a descongelar. Ontem comi batatas e não me apetece arroz nem massa. Por isso hoje vou comer ervilhas com frango. Talvez com ovos também.

Enquanto isso, na América, ainda não há resultados definitivos. Mas ao que parece o Bush está em vantagem. E o pior é que essa ideia não me incomoda.

Ausência

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.

Carlos Drummond de Andrade

Com os olhos em tanta coisa. Menos na maçã.


terça-feira, novembro 02, 2004

Liberdade

Ai que prazer
Não cumprir um dever,
Ter um livro para ler
E não o fazer!
Ler é maçada,
Estudar é nada.
O sol doira
Sem literatura.
O rio corre, bem ou mal,
Sem edição original.
E a brisa, essa,
De tão naturalmente matinal,
Como tem tempo não tem pressa...
(...)

Fernando Pessoa


Lei de Delphase

Quanndo te ligam:
a) se você tem caneta, não tem papel. b) se tem papel não tem caneta. c) se tem ambos ninguém liga.

Kerry vs Bush

Já repararam que o Santana Lopes não tem aparecido. Confesso que já tenho saudades, essencialmente porque assim fico com menos assunto para comentar. Claro que ainda temos a Cinha e as palermices de dois ou três políticos. Mas nada que se compare com a riqueza de cada intervenção do nosso primeiro ministro.

Hoje é um dia muito importante para a América, e possivelmente para todos nós. Apesar de ser um dia de semana e de não ser feriado na América, hoje é o dia escolhido para os americanos, na pausa de almoço, depois ou antes do trabalho, fazerem a sua escolha: Kerry ou Bush.

Confesso, que apesar de ter uma certa simpatia com a esquerda democrática e de considerar Bush um dos maiores responsáveis da crise mundial que atravessamos, não consigo me entusiasmar com o candidato democrata John Kerry. Por isso, não tenho um candidato favorito definido. Assim, espero que, pelo menos desta vez, os americanos sejam inteligentes na sua escolha, para o bem deles e nosso.

Citação

Políticos corruptos fazem com que os restantes dez por cento pareçam mal.

Kissinger , Henri

Pela paz, ou não.


segunda-feira, novembro 01, 2004

Feriado

Hoje também é feriado em Cabo Verde. Aproveitando isso, desde de manha, que estou fora de casa, num passeio, organizado pelos professores, ao Canto Fajã. Tenho imensas coisas para contar, mas gora tou muito cansado e sem tempo. Amanhã é outro dia.

Essa miúda (lembrando-me de uma princesa!)

Essa miúda é uma fogueira
Que te acende as noites em qualquer lugar
E tu desejas arder com ela
Enquanto bebes o perfume
Que ela deita nos seus trapos de côr
Para te embriagar

Essa miúda é um exagero
Diz que sem ti não sabe voar
E tu adoras voar com ela
E enquanto inventas espaços novos
Ela vai arquitectando uma teia
Para te aconchegar

Essa miúda faz-te acreditar
Que o Sol é um presente
Que a aurora traz
Principalmente para ti

Essa miúda é uma feiticeira
Prende-te a mente e põe-se a falar
E tu bem tentas compreendê-la
Mas o que sai da sua boca
Não parece condizer com o que ela
Te diz com o olhar

Essa miúda faz-te acreditar
Que o Sol é um presente
Que a aurora traz
Principalmente para ti

Jorge Palma