terça-feira, janeiro 31, 2006

Conto mais curto, versão

Era uma vez um homem que um dia prometeu ir para a neve com a família. Até que um dia nevou e cumpriu.

Abominável Homem das Neves

Era uma vez um homem que um dia prometeu ir para a neve com a família. A sua mulher, entusiasmada com a ideia, rapidamente tratou de contar a novidade às suas amigas. E, durante um ano, andou todos os dias a fazer as malas de viagem, a vestir os filhos a rigor e a justificar-se perante as amigas na esperança que a promessa se cumprisse. Até que um dia nevou.

segunda-feira, janeiro 30, 2006

Para mais tarde recordar...




















*Farinha Branca, in Observa bem

quinta-feira, janeiro 26, 2006

Conselho

Não sejam redundantes. Evitem repetir a mesma coisa, e a mesma coisa, várias vezes seguidas uma depois da outra e usar mais palavras do que as essencialmente necessárias para expressar as vossas idéias de uma forma simples,sintética e breve, sem grandes rodeios.

segunda-feira, janeiro 23, 2006

Gostos não se discutem

Gosto de dormir. Gosto de acordar sem sono. Gosto de sonhar quando já estou meio acordado. Gosto que me digam bom dia. Gosto de sentir a brisa da manhã. Gosto de ver pessoas a passar. Gosto de ver crianças a brincar. Gosto de brincar. Gosto de ser criança. Gosto de rir sem motivo. Gosto de pessoas bem humoradas. Gosto de pessoas sinceras. Gosto de pessoas com personalidade. Gosto de pessoas corajosas. Gosto de pessoas perseverantes. Gosto de conhecer pessoas interessantes. Gosto de pessoas humildes. Gosto de uma boa conversa. Gosto de pessoas diferentes. Gosto de ser diferente. Gosto do Jorge Palma. Gosto do Al Pacino. Gosto do Sócrates. Gosto das entrevistas do Lobo Antunes. Gosto de ler C.S.Lewis. Gosto de reler o principezinho. Gosto de filmes de mafiosos. Gosto de música cantada em português. Gosto de ouvir o mar de noite. Gosto de me sentir confortável. Gosto de resolver problemas. Gosto de me sentir de dever cumprido. Gosto de ter ideias que ninguém teve. Gosto de ter razão. Gosto que me dêem razão. Gosto de ver a minha mãe rir. Gosto que me cativem. Gosto de mulheres que lutem por mim. Gosto de mulheres decididas. Gosto de mulheres misteriosas. Gosto de olhar nos olhos de uma mulher. Gosto de cabelos compridos. Gosto dos meus pés. Gosto de passear. Gosto de viajar. Gosto do alentejo. Gosto do Brasil. Gosto de São Nicolau. Gosto de comer marisco no verão. Gosto de cozinhar. Gosto de por limão em todo o tipo de comida. Gosto de beber café acompanhado de um copo de água. Gosto de ler o jornal na cama. Gosto de blogues. Gosto de estar em casa quando está frio. Gosto de gatos. Gosto de correr com os meus cães. Gosto de não ter nada para fazer. Gosto de me sentir livre. Gosto de muitas coisas que não me consigo lembrar. Gosto de ti.

terça-feira, janeiro 17, 2006

Triste sina

A propósito de um acidente, que ocorreu esta semana com um camião que transportava porcos, dos quais 30 e tal morrerram, ouvi uma reportagem onde o jornalista ao entrevistar o motorista do respectivo camião, questiona:

- Então como estão os porcos que não morreram?

Responde, prontamente, o motorista:

- Ah, estão muito bem. Vão agora mesmo para o matadouro.